quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

oasis que permite sonhar...

Sabe bem encontrar pedaços como este no meio da cidade. No domingo, eu e o Sammy passeámos entre muitas flores amarelas, ou seja, entre muitas azedas. Ouvimos o silêncio, por vezes interrompido pelo canto de um pássaro ou por uma buzina ao longe, muito longe... não sei se pela distância, se pelo "recanto" à parte onde nos encontrávamos, alheios ao resto do mundo... sem pressa de regressar.




Provavelmente não fui a única que em miúda gostava de andar sobre o lancil do passeio. Mas provavelmete, serei das poucas que ainda continua a fazê-lo depois de crescer. Gosto. Antes, imaginava-me a andar num barco, ou sobre uma ponte estreita, podendo cair na água ao mais pequeno desequilíbrio, ou então sobre uma corda que me levaria a uma casa na árvore, no meio da foresta. Hoje... imagino que sou criança.

2 comentários:

Catarina disse...

Andar sobre o lancil do passeio é algo de que um adulto nunca deve abdicar... simboliza isso mesmo que disseste, a liberdade de ser criança!

zarah disse...

looks like a lovely lovely place :)