segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

e [quase] tudo o vento levou...

O ciclone Stephanie fazia-se sentir na rua, mas dentro da igreja estivemos aconchegados o dia todo. Ler juntos a Palavra, meditar sobre ela, orar, louvar. Sentar à volta da mesa e desfrutar uma refeição. Ouvir o que Deus fez e continua a fazer na vida dos Seus. Olhar bebés felizes que a cada semana estão maiores e mais doces e crianças a brincar e crescer juntas. Na verdade, todos crescemos unidos e a beleza passa também por aí. Sentir alegria no simples facto de estarmos juntos e de não desejarmos estar em nenhum outro lugar.
Sair à rua no final da tarde e ter de segurar bem os pés ao chão. Isso, ou voar! Atravessar a ponte 25 de Abril foi uma emoção! Regressar a casa com amigos que são família e sentar novamente à volta da mesa. Conversar e partilhar. Ver um filme. Dormir, acordar, continuar a ver o filme.
Lá fora o vento soprou forte. Árvores caíram, objectos voaram, barcos pararam, jogos foram cancelados. Dentro de portas, a segurança de pertencermos a um Deus que controla o vento dá-nos uma tranquilidade e paz sem medida. E a gratidão cresce.