sexta-feira, 20 de setembro de 2013

conferência Fiel

Dias gastos a escutar as escrituras, a ouvir atentamente a voz de Deus. Ouvir o Pr. Franklin Ferreira e o Pr. Paul Washer foi avassalador. Na realidade acho que não encontro palavra que o descreva melhor. No último dia da conferência tive um leve, muito leve gosto do que deverá ser passar por um avivamento dado por Deus.
O Evangelho da Bíblia pregado de forma fiel e profunda  por homens humildes que entendem o que Deus é e o que nós somos. Que possuem uma paixão e gratidão ardente pelo Mestre que transborda para fora de uma forma perfeitamente visível.
O Evangelho é simples na sua essência, apesar de ser complexo ao ponto da busca da sua compreensão profunda jamais chegar ao fim. É poderoso. Poderoso para salvar o homem miserável.
Um contraste gigante com o evangelho barato e superficial que se vai espalhando ao nosso redor nos dias de hoje. No Evangelho fiel há poder garantido na Palavra que transforma. O completo em contraste com o vazio e oco. Uma amiga descreveu muito bem o que também eu sinto. Estou minúscula. Olhar para Deus, para tudo o que Ele é e contemplar a Sua glória, santidade, justiça, total perfeição, deixou-me assim. Um micróbio. Posso apenas depender e olhar mais para o Rei da glória e implorar misericórdia.
 
 
O cristão tem uma nova natureza, é uma nova criatura. Tem um gosto exclusivo por justiça e o seu coração tem sido de tal modo alargado que nada neste mundo pode satisfaze-lo. E se alguém lhe tirar tudo, não será esmagado. O Único que o pode preencher é Deus. O Único que o pode tornar completo é Cristo. Quanto mais conhecer acerca dEle, mais as suas afeições irão brotar e crescer. Mais separará tudo o resto para estar com Ele.
 
Quantas vezes Adão e Eva pecaram antes serem expulsos do jardim? O que é que eles fizeram? Qual foi a consequência? A humanidade foi castigada.
 
Não fomos salvos do pecado, mas da ira de Deus. Fomos salvos de Deus, por Deus e para Deus.
Na cruz, justiça e amor encontraram-se em harmonia.
 
Amar a Deus de todo o nosso coração, com toda a nossa alma e toda a nossa força. Em nenhum momento da nossa vida conseguimos cumprir isto. Em momento algum da história um homem amou o Senhor com todo o seu coração, alma e força. Mas em Jesus não houve um único momento em que isso não acontecesse. Ele fez com a Sua vida algo que nenhum homem conseguiu fazer em toda a história humana.
 
Viver uma eternidade no céu tornar-se-á algo aborrecido?
Eternidade é igual a um Deus infinito, de infinita glória. De tal maneira que, ao fim de mil eternidades ainda não conseguimos começar a ter um pequeno vislumbre do início da Sua beleza, nem começámos ainda a compreender a o Evangelho.
 
-Pr. Paul Washer-